Stan Lee, o lendário criador dos maiores super-heróis da Marvel como o Homem de Ferro, Thor, Hulk e muitos outros, tinha um herói favorito. Um super-herói que ele mesmo concebeu como um adolescente com problemas cotidianos, que de repente adquire poderes incríveis. Esse herói é o Homem-Aranha, um personagem que se tornou um ícone dos quadrinhos, com direito a um lugar no guinness book como o super-herói mais popular do mundo.

O Homem-Aranha foi criado por Stan Lee e Steve Ditko em 1962, para a Marvel Comics. Peter Parker, um estudante do ensino médio, adquire habilidades excepcionais depois de ser picado por uma aranha radioativa. Além de ser capaz de escalar paredes e de possuir uma força sobre-humana, Peter tem agilidade e flexibilidade incomuns e, claro, o seu senso de aranha, que lhe permite prever os perigos. Ao se tornar o Homem-Aranha, Peter encarna não só a figura do herói que salva Nova York do crime e dos vilões, como também passa a ser um defensor dos fracos e oprimidos.

Homem-Aranha tem uma grande legião de fãs que se identificam com o personagem, principalmente jovens adolescentes. Afinal, como qualquer outro adolescente, Peter Parker tem inseguranças, conflitos e dúvidas. Ele precisa lidar com problemas pessoais, como a dificuldade de se aproximar das mulheres, a dúvida de como pagar as contas e a tensão entre escola e trabalho.

Além disso, a história do Homem-Aranha sempre foi um reflexo da sociedade em que ele vive. Desde o início, o personagem foi um espelho das mudanças sociais dos anos 60, com o seu discurso anti-autoritário e preocupação com a justiça social.

O sucesso do Homem-Aranha nos quadrinhos foi tão grande que ele acabou tendo outras formas de mídia adaptadas para ele, como desenhos animados, filmes e até mesmo jogos. Seu primeiro live-action foi em 1977, em uma série de TV, e desde então, vários atores já interpretaram Peter Parker/Homem-Aranha nos cinemas, incluindo Tobey Maguire, Andrew Garfield e Tom Holland.

O Homem-Aranha é um ícone da cultura pop, e isso pode ser atribuído a muitos fatores, incluindo o seu design icônico do traje vermelho e azul, o seu senso de humor engraçado e repleto de piadas e trocadilhos, a sua personalidade heroica e altruísta, os seus vilões memoráveis, como o Duende Verde e o Venom, entre outros.

Mas, sem dúvida, o Homem-Aranha tem um poder de atração que vem de sua história, que é uma mistura equilibrada de fantasia e realidade. Ele é muitas vezes retratado como um homem comum, enfrentando uma série de problemas e desafios, que se supera para se tornar um verdadeiro herói. O Homem-Aranha é a prova de que qualquer um de nós pode se tornar um super-herói. Ele é a personificação do potencial humano, da capacidade de perseverar diante de dificuldades e de fazer o bem.

Portanto, podemos entender por que o Homem-Aranha era o favorito de Stan Lee. O personagem de Peter Parker representa os valores que Stan acreditava: convicção, coragem e bondade. O criador de grandes super-heróis pode ter passado, mas o legado do Homem-Aranha, e a mensagem que ele carrega, continua a ser relevante para os fãs de heróis em todo o mundo.